|||| A FNE com CDS-PP e PCP na Assembleia da República. “Professores e educadores sentem-se abandonados pelos deputados”

A FNE com CDS-PP e PCP na Assembleia da República. “Professores e educadores sentem-se abandonados pelos deputados”
2017-11-09
A FNE com CDS-PP e PCP na Assembleia da República. “Professores e educadores sentem-se abandonados pelos deputados”
 
A ronda de reuniões solicitadas pela Federação Nacional da Educação (FNE) aos vários grupos parlamentares iniciou em 8 de novembro de 2017 com uma delegação composta pela Vice- Secretária-Geral Lucinda Manuela Dâmaso e pelas Secretárias Nacionais Josefa Lopes e Maria José Rangel, a ser recebida pelos grupos parlamentares do CDS-PP e do PCP, na Assembleia da República.
 

Na primeira sessão o CDS-PP fez-se representar pelas deputadas Ana Rita Bessa e Ilda Araújo e recebeu da parte de Lucinda Dâmaso o alerta: os professores estão saturados e com dificuldade para digerir a injustiça que acontece na questão do descongelamento de carreiras no Orçamento de Estado 2018.

A FNE fez ver às deputadas centristas que desta forma os professores não conseguirão atingir nunca o topo de carreira, sendo que em alguns casos nem metade desse caminho. A deputada Ana Bessa mostrou não perceber o porquê de o Ministro da Educação não abrir uma hipótese sequer à negociação e o porquê de os professores serem um caso à parte na questão do descongelamento de carreiras, mostrando verificar inconsistências no discurso do Ministro sobre o total apoio aos professores, quando depois fecha a porta sem mais neste caso. O CDS questionou ainda o facto de se todos os Sindicatos ligados à Educação mostram abertura para negociar um faseamento na situação do descongelamento por que é que o Ministro da Educação não se senta à mesa para falar?

As representantes da FNE mostraram ainda o desagrado quanto ao 'empurrar' do Ministro na situação do congelamento para a tutela das Finanças, dizendo ainda que alguns professores não foram reposicionados por erro do ME e que toda esta situação contraria a paz social.

Lançado à mesa foi também o tema do Artº36 do Estatuto da Carreira Docente, que a FNE apelida de 'armadilha', pois vai atrasar o mais possível a chegada ao topo da carreira por parte dos professores.

As representantes do CDS-PP comprometeram-se a questionar na discussão na especialidade toda esta questão do descongelamento diferenciado para professores relativamente ao resto do sector público, deixando o repto para os professores tomarem uma posição mais radical, voltando a considerar extremamente positiva a proposta de negociação para o faseamento.

 

Duas vidas para chegar ao topo de carreira

O PCP recebeu a delegação da FNE na pessoa da deputada Ana Mesquita. A FNE voltou a questionar o porquê de os professores serem tratados de forma discriminatória pelo governo neste OE2018 relativamente ao tempo de carreira e reforçou a ideia de que o que se tenta fazer chegar ao ME, mesmo não obtendo resposta, é uma tentativa de negociação, o que demonstra uma consciência elogiada pela deputada comunista, de que esta é a melhor forma de manter a paz social.

Foi então solicitado ao PCP que faça força para inverter a situação na especialidade, de forma que abra um processo negocial chamando a atenção que a FNE sempre optou pelo processo de negociação, mas que a luta pode agora endurecer. Ana Mesquita referiu que 'o partido compreende e tem denunciado junto do Governo esta enorme situação de injustiça e como esta não nos parece a proposta adequada vamos até ao fim para a tentar alterar, porque esta situação não faz sentido: os professores teriam de viver duas vidas para chegar ao topo de carreira'. A deputada afirmou ainda que 'do lado do PCP estamos empenhados e com abertura para a negociação e que essa é a via mais sensata, sendo que esta nota da FNE também vai ajudar a alicerçar a nossa posição'.

A fechar o encontro, Lucinda Dâmaso deixou um recado: 'os professores e educadores sentem-se abandonados pelos deputados. Esta é uma boa altura de os verem fazer algo por eles', finalizou.

Porto, 9 de novembro de 2017


Voltar

|||| Destaques

Dez 2016

40 anos SPZC

José Ricardo, presidente do Sindicato do Sindicato dos Professores da Zona Centro, faz o balanço de 40 anos de ação

Ler Mais
FNE Online

Edição do jornal online FNE está disponível para consulta

Ler Mais
Correio Sindical
Ler Mais
Negociação Formação Saúde Informação Social Cultural Jurídico