|||| FNE: "Esta reunião foi uma farsa negocial"

FNE: "Esta reunião foi uma farsa negocial"

5-12-2018

A FNE esteve esta tarde no Ministério da Educação para uma nova reunião  sobre o processo negocial relativo à recuperação do tempo de serviço  congelado. A delegação da FNE foi composta pela Vice Secretária-Geral  Lucinda Dâmaso e pelas Secretárias-Nacionais Josefa Lopes e Maria José  Rangel.

Para a FNE esta foi uma “não-reunião”, pois o Governo resolveu,  antes de a Lei do Orçamento de Estado para 2019 estar sequer promulgada  pelo Presidente da República e de ser publicada em Diário da República, querer fazer de conta que já estava a negociar o que a Lei a publicar determina, aliás, em repetição do que já constava da Lei do Orçamento de Estado de 2018, e que o Governo não cumpriu.

Na reunião, o Governo quis pretender que não há nenhuma novidade na proposta de Lei da Assembleia da República para 2019 relativamente à Lei de 2018, ou seja, que o que vai ter de ser negociado é o tempo e o modo em que se teria fazer a recuperação dos 2 anos, 9 meses e 18 dias em que pretende comprimir a totalidade do tempo que esteve congelado, continuando a ignorar que a sua obrigação é de negociar em que tempo e de que modo se garante a recuperação dos 9 anos, 4 meses e 2 dias, que é o tempo total de que os educadores e professores portugueses não abdicam e que é justo e idêntico ao que acontece às carreiras gerais da Administração Pública,

O Governo apresentou nesta reunião uma proposta, considerando estar em condições de iniciar um processo negocial que podia acabar de imediato, se houvesse a aceitação de que a recuperação do tempo de serviço congelado se reduzisse aos 2 anos, 9 meses e 18 dias que pretende impor.

A FNE declarou nesta reunião que, para si, é impossível abdicar da recuperação total do tempo de serviço e, por mais que se questionasse o Governo sobre a pressa para marcar esta reunião, bem como sobre o propósito desta convocatória, a Secretária de Estado limitou-se a dizer que estavam apenas a cumprir o que a lei do Orçamento de Estado 2019 prevê e que em princípio dariam como finalizado este processo negocial.

Para a FNE, está-se em presença de uma farsa negocial que não iremos aceitar e que imporá que se intervenha junto da Assembleia da República, uma vez que esta está a ser desrespeitada por estes procedimentos do Governo que ignoram as orientações que lhe são definidas sobre esta matéria.


Voltar

|||| Destaques

Jan 2019

Mais benefícios na saúde

Ler Mais
Ler Mais
FNE Online

Edição do jornal online FNE está disponível para consulta

Ler Mais
Negociação Formação Saúde Informação Social Cultural Jurídico