|||| FNE em concentração no exterior da Assembleia da República a 16 de abril

FNE em concentração no exterior da Assembleia da República a 16 de abril

FNE em concentração no exterior da Assembleia da República a 16 de abril

11-4-2019

A Federação Nacional da Educação (FNE) promove uma concentração no exterior da Assembleia da República no próximo dia 16 de abril, 3ª feira, a partir das 15h, juntamente com outras organizações sindicais do setor, durante os trabalhos em que serão discutidos os pedidos de apreciação parlamentar do Decreto-Lei com que o Governo tentou limitar a recuperação do tempo de serviço prestado pelos educadores e professores portugueses e que esteve congelado por 9 anos, 4 meses e 2 dias.

A FNE considera essencial que neste dia 16 de abril seja possível iniciar-se um processo de convergência entre uma maioria de Deputados de forma a que aqueles que defendem a justiça na recuperação total do tempo de serviço congelado aos professores possam agora determinar um processo que respeite os educadores e professores portugueses, estabelecendo a melhor solução para que esta recuperação seja integral e o mais rápida possível.

O Governo ainda tentou iludir os educadores e professores com uma legislação recente em que, a propósito da recuperação do tempo de serviço congelado para outras carreiras especiais, deu a optar o momento em que poderiam fazer a recuperação dos 2 anos, 9 meses e 18 dias que o governo lhes reconhece. A FNE considera que esta não é uma opção justa, pois conduziria os educadores e professores a escolherem entre o lume e o fogo, prejudicando de qualquer forma os docentes portugueses que não veriam reconhecido todo o tempo de serviço congelado.

Para a FNE, é essencial que a Assembleia da República determine uma solução que terá de acontecer agora e não adiada para uma próxima legislatura. Para a FNE, é ainda durante esta legislatura que tem de ser encontrada uma solução por parte dos Grupos Parlamentares, visto que o Governo teve a oportunidade de resolver na mesa das negociações as condições para o reconhecimento da totalidade do tempo de serviço congelado aos docentes portugueses. Podia tê-lo feito no final de 2017, no quadro, no desenvolvimento e em respeito pela declaração de compromisso assinada com as organizações sindicais de docentes; podia tê-lo feito durante o ano de 2018 para dar execução ao que determinavam a Resolução 1/2018 e a Lei do Orçamento de Estado para 2018; podia tê-lo feito já em 2019 para cumprir o que determina a Lei do Orçamento de Estado para 2019, mas sucessivamente e sobranceiramente, o Governo desconsiderou o compromisso que assumiu e desconsiderou e incumpriu a Lei.

16 de abril será então um dia em que em frente à Assembleia da República será pedido respeito e justiça pelo trabalho que os educadores e professores portugueses realizaram durante 9 anos, 4 meses e 2 dias da sua carreira.

Não desistimos daquilo que é dos educadores e professores por direito.

O Governo falhou!

A Assembleia da República não pode falhar.

 

Porto, 11 de abril de 2019

A Comissão Executiva

 

 


Voltar

|||| Destaques

Jan 2019

Mais benefícios na saúde

Ler Mais
Ler Mais
FNE Online

Edição do jornal online FNE está disponível para consulta

Ler Mais
Negociação Formação Saúde Informação Social Cultural Jurídico