|||| Professores celebram o seu Dia Mundial com desfile em Lisboa

Professores celebram o seu Dia Mundial com desfile em Lisboa

Professores celebram o seu Dia Mundial com desfile em Lisboa

5-10-2019

O 5 de outubro, Dia Mundial do Professor, foi celebrado em Lisboa, por milhares de docentes e educadores, vindos de todo o país, que participaram no desfile que encheu, de tarde, a Avenida da Liberdade e o Rossio, naquele que foi mais um claro sinal de força, mas também de insatisfação e de luta dos professores portugueses pela valorização e rejuvenescimento da sua profissão, mote este ano atribuído pela Internacional da Educação.
 
As mensagens dos docentes e educadores, neste dia comemorado pelos sindicatos da educação em todo o mundo, passaram pela exigência do cumprimento da lei e contabilização total dos 9 anos, 4 meses e 2 dias de tempo de serviço, além de outras matérias de extrema relevância como a dos Professores Jovens: Futuro da Profissão, uma digna aposentação, a determinação clara do que é a componente letiva e não letiva, os horários e o fim da precariedade no setor.

O Secretário-Geral da FNE, João Dias da Silva, no discurso de saudação realizado perante um Rossio repleto, começou por sublinhar que "Estamos aqui hoje, neste Dia Mundial do Professor, para afirmar a necessidade de os professores e educadores portugueses serem prestigiados, reconhecidos e valorizados. Porque sabemos que só se os educadores e professores forem reconhecidos é que estaremos a promover uma escola melhor", acrescentando ainda que "uma declaração conjunta dos Diretores Gerais da OIT, da UNESCO e da UNICEF, afirma que esta data deve servir para comemorar a experiência, a energia e a paixão dos professores, que são a pedra angular dos sistemas educativos do futuro".
 


Os professores saíram à rua para denunciar a falta de justiça e de respeito, com João Dias da Silva a lembrar que "os professores também são centrais para a regeneração da própria profissão. Sem uma nova geração de professores motivados, milhões de alunos perderão ou continuarão a perder o seu direito a uma Educação de Qualidade. Com professores mal remunerados e subvalorizados, atrair e reter talentos é um desafio. Acima de tudo, celebramos o trabalho de todos os professores que continuam a esforçar-se todos os dias para garantir que uma educação de qualidade inclusiva e equitativa e a promoção de oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos se tornem uma realidade. Uma escola melhor depende de todos nós que aqui estamos. Nós somos a escola. Nós construímos a escola", sublinhou.

A fechar, João Dias da Silva reforçou que "A valorização dos educadores e professores inclui o respeito por todos e cada um de nós; inclui a determinação de condições de trabalho nas escolas, inclui limites ao tempo de trabalho que nos é exigido, inclui o direito a uma aposentação vivida com dignidade, inclui estabilidade e segurança na profissão. Só assim teremos a garantia de uma escola de qualidade. O que está aqui em causa e o que nos mobiliza é a nossa profissão".

O Secretário-Geral da UGT, Carlos Silva, vários membros do Secretariado Executivo da UGT, e o Secretário-Geral da FESAP, José Abraão, marcaram presença no desfile, em solidariedade com todos os educadores e professores portugueses.

O Dia Mundial do Professor celebrou os profissionais da Educação que todos os dias demonstram nas escolas de Portugal com o seu trabalho que merecem ser respeitados e prestigiados. Que não perdoam mentiras, hipocrisias nem desconsiderações. Os educadores e professores portugueses cumprem com empenho e dedicação o que são os seus deveres. Aquilo que este desfile reforçou foi o pedido que quem de direito não deixe de cumprir as suas responsabilidades e que os docentes portugueses estão disponíveis para as lutas que forem necessárias, para garantir que lhes seja reconhecido o que é seu de direito e de justiça. E, quanto a isto, ficou dado mais um sinal de que não vão desistir.

Todos os educadores e professores portugueses aprovaram por unanimidade uma resolução, onde reafirmam total disponibilidade para participarem empenhadamente em todos os processos negociais que permitam encontrar as soluções mais adequadas para a valorização de todos os docentes, e, se necessário, para continuarem a lutar por estes objetivos. Decidem então, como sinal da sua disponibilidade, entregar esta moção aos Partidos que obtenham representação parlamentar nas eleições legislativas de 6 de outubro de 2019 e ao Governo que delas venha a ser constituído.
 
Galeria de fotos SPZC
 

Voltar

|||| Destaques

Jan 2019

Mais benefícios na saúde

Ler Mais
Ler Mais
FNE Online

Edição do jornal online FNE está disponível para consulta

Ler Mais
Negociação Formação Saúde Informação Social Cultural Jurídico