|||| FNE apreensiva com o impasse na negociação coletiva no Ensino Particular e Cooperativo

FNE apreensiva com o impasse na negociação  coletiva no Ensino Particular e Cooperativo

FNE apreensiva com o impasse na negociação coletiva no Ensino Particular e Cooperativo

6-11-2019

A FNE está extremamente apreensiva com o impasse que se verifica nas negociações sobre a revisão do Contrato Coletivo de Trabalho para os docentes e não docentes do Ensino Particular e Cooperativo e do Ensino Profissional e exige que o processo negocial seja rapidamente retomado.

A FNE recorda que apresentou um conjunto de propostas no início do mês de julho à CNEF (Confederação Nacional da Educação e Formação), confederação que congrega as associações patronais do setor privado da educação e formação profissional (AEEP e ANESPO) e que desde a última reunião de negociação realizada no passado dia 20 de setembro que o impasse se mantém.

Até à última reunião, a FNE tinha garantido um conjunto de princípios que auguravam avanços significativos na melhoria do Contrato Coletivo de Trabalho, nomeadamente:

  • aumento global dos salários ajustados à inflação prevista para 2020 e consideração de recuperação do poder de compra dos trabalhadores;
  • aproximar a estrutura de carreira do ensino profissional à do ensino regular do ensino particular e cooperativo, com condições de progressão a negociar;
  • integrar os formadores com habilitações de grau superior na estrutura de carreira dos professores do ensino profissional;
  • maior consideração do mérito profissional na progressão da carreira;
  • melhorar as condições de oferta da formação contínua e reconversão profissional, bem como, o de proporcionar a escolaridade obrigatória aos trabalhadores não docentes que não a possuam;
  • introduzir propostas que permitam uma maior compatibilidade entre vida profissional e familiar;
  • aumento do salário mínimo para 636 euros e ajustamentos daí decorrentes nas diferentes categorias de trabalhadores.

A FNE exige à Direção da CNEF que rapidamente se retomem as negociações e que sejam, desde já, assumidos os compromissos atrás referidos e se retome o aprofundamento de outras matérias que foram apresentadas no caderno reivindicativo no passado mês de julho e que permitem melhorar as condições de trabalho de todos os trabalhadores envolvidos no âmbito do Contrato Coletivo de Trabalho. 

Porto, 6 de novembro de 2019

A Comissão Executiva

Para imprimir, clique na imagem

Voltar

|||| Destaques

Jan 2019

Mais benefícios na saúde

Ler Mais
Ler Mais
FNE Online

Edição do jornal online FNE está disponível para consulta

Ler Mais
Negociação Formação Saúde Informação Social Cultural Jurídico