Questões?
Coloque-nos a sua questão

Onda de descontentamento invade educadores e professores

Nota de imprensa

17 de maio de 2021

Docentes do Pré-escolar e 1.º ciclo estão particularmente dececionados com os horários e condições de trabalho. Também os colegas que exercem no 2.º e 3.º ciclos, Secundário e Superior continuam a não ver resolvidos problemas por incúria das respetivas tutelas

Mais de quatro dezenas de dirigentes do SPZC reuniram neste dia 15 de maio o órgão de Direção para a análise da situação que se vive nas escolas e, globalmente, na educação.

Os docentes da monodocência, educadores e professores do 1.º ciclo, estão dececionados, descontentes e desmotivados com a realidade ao nível dos horários e das condições de trabalho. O SPZC não esquece esta situação particular e, sendo um sindicato transversal, que abarca todos os níveis e sectores de ensino, trabalha e dá resposta na base do equilíbrio e da equidade.

Também a questão da autoridade dos docentes, do reconhecimento do seu empenho e trabalho, é uma matéria que merece especial preocupação da parte dos dirigentes sindicais. Os episódios de maus-tratos e de injúrias da parte de alguns pais e encarregados de educação e alunos em relação aos docentes preocupam e são alvo de uma atenção especial do SPZC.

Já o Ensino Superior está a marcar passo em relação à resolução dos seus reais problemas. O ministro Manuel Heitor tem-se pautado com atitudes isoladas, que apenas fazem prova de vida, não dando a resposta devida às fragilidades há muito identificadas nos subsistemas politécnico e universitário. Ainda assim, e sem rodeios, o SPZC e a FNE não deixarão de apresentar a lista de casos problemáticos em sede própria.

Para que se possa ter um elenco de propostas credíveis, justas e concretizáveis, os dirigentes do SPZC continuam empenhados na recolha exaustiva das propostas relacionadas com os concursos, a vinculação, a aposentação, o rejuvenescimento, a eliminação da precariedade, a formação inicial de docentes.

As condições da aposentação têm de ser revistas. Não é aceitável, nem sequer imaginável (ainda que tal já ocorra no dia a dia), ter por exemplo, educadores de infância com 65 anos de idade à frente de um grupo de crianças com 3 e 4 anos, que obrigam a uma atenção especial e a exigências físicas que não são compatíveis com essa idade.

As 12 delegações do SPZC estão já com serviços presenciais no seu horário normal. Além da entrega do kit dos 45 anos, que inclui um “mimo” digital, está a reforçar-se o apelo para a instalação da aplicação (app) do SPZC. Através dela é possível trazer o SPZC no bolso, com informações atualizadas em tempo real. Sublinhe-se que é no campo das redes sociais, no uso das diversas plataformas digitais, que os ganhos de visibilidade e adesão têm sido inequívocos, sempre com uma informação baseada no RIGOR e na CONFIANÇA.


Voltar
Negociação Formação Saúde Informação Social | Protocolos Cultural Jurídico