Voltar

Para a FNE a nova proposta da tutela "é um passo no sentido de acabar com a precariedade nas carreiras de investigação"

18-6-2024

José Luís Abrantes, Secretário-geral adjunto da FNE fez o balanço no final da reunião com o Ministro da Educação, Ciência e Inovação sobre revisão do estatuto da carreira do ensino e investigação científica.
 
O dirigente da FNE considerou que a proposta apresentada hoje pela tutela para o estatuto da carreira de investigação científica é melhor face ao aprovado pelo anterior governo.
 
“A proposta é um passo no sentido de acabar com a precariedade nas carreiras de investigação. Para nós, esse é um elemento fundamental e um ponto de partida para o diálogo que esperamos manter com o Governo”, disse José Luís Abrantes em declarações aos jornalistas que esperavam no final deste encontro.
 
José Luís Abrantes sublinhou a necessidade de mitigar a precariedade no setor, admitindo que é difícil pôr fim ao problema por completo, mas considerou que a proposta apresentada hoje “vai no bom sentido”.
 
“O que está em cima da mesa são alguns aspetos que, depois de um diálogo com as instituições sindicais, podem melhorar a proposta anterior, mas serão fruto da negociação”, referiu.
 
A fechar, o Secretário-Geral Adjunto da FNE deixou críticas, ainda assim, a um aspeto específico da proposta, relacionado com o período experimental, que deverá corresponder a cinco anos e que a FNE considera ser um prazo demasiado grande.

LUSA/FNE


Voltar